Torne-se um usuário cadastrado e ajude a Santa Fisio!! a crescer. É gratis!!

  Imprimir trabalhoEnviar Trabalho

Eletroterapia - conceitos básicos


Uso de corrente elétrica para atingir objetivos terapêuticos

 

*Corrente Elétrica: orientação dos elétrons em um condutor quando submetido a um ddp. Intensidade de corrente elétrica é dada pela unidade Ampére (A :mA ou uA)

 

CORRENTE ELÉTRICA CONTÍNUA OU GALVÂNICA: elétrons não variam a direção e o sentido. É capaz de formar pólos: corrente polarizada.

 

CORRENTE ALTERNADA: elétrons ora se orientam em um sentido, ora em ooutro. Sem formação de pólos.

 

Frequência da corrente alternada: quantidade de vezes por segundo que ocorre a mudança de sentido dos elétrons. 1 ciclo por segundo = 1 Hz

 

II.1: Correntes de Baixa Frequência== intervalo a partir do zero até 1000 Hz, com faixa terapêutica de 0 - 200Hz. Exemplo: correntes diadinâmicas de Bernard (FASYS, NEODINATOR=normalmente 50Hz), corrente Farádica, TENS (estimulação neuromuscular elétrica transcutânea),FES. O que difere é o tipo de pulso e a maneira como a corrente é oferecida para a fibra: causando analgesia ou contração muscular(eletroestimulação muscular)

 

*trabalho de parto, inflamação da pleura.

 

II.2:Correntes de Média Frequência= de 1000 à 100.000Hz, com faixa terapêutica de

 

1500 – 4000Hz. Exemplo: correntes interferenciais(ENDOPHASYSI)=analgesia, corrente russa(ENDOPHASYS II)=contração. Atinje maior profundidade quanto maior for a frequência. É a única corrente que produz *Hipertrofia Muscular.

 

II.3:Correntes de Alta Frequência: : oscilam acima de 100.000HZ. O efeito terapêutico vai ocorrer a partir do campo magnético que essas correntes fazem. Atrito molecular= CALOR(quantidade de vibração molecular de um determinado tecido): importante maneira de produção de calor profundo. Exemplo: ultra-som=depende do tipo de transdutor ou cabeçote(1,3ou5MHz), ondas curtas(23,5MHz), microondas (2300Hz) =mais prático e simples.

 

"CORRENTE GALVÂNICA"

 

CARACTERÍSTICAS

 

-polar e contínua

 

-grande poder analgésico

 

-produz os fenômenos de eletrosmose e iontoforese

 

-aumenta o limiar de despolarização das fibras sensitivas

 

Estímulo supra-limiar

 

Limiar de excitação

 

Estímulo sub-limiar

 

*PA menor que 75mV, estímulo sublimiar = não consegue despolarizar a fibra.

 

*Eletrosmose: migração das moléculas de água para o pólo positivo e carreamento da proteína para o pólo negativo. A proteína é precursora da cicatrização. Ao final da aplicação nota-se depressão no pólo -, e abaulamento no +.

 

=Edema: sensibilidade alterada= grande risco de queimaduras=inverter os pólos de vez em quando para não causá-las.

 

*Iontoforese: introdução de íons medicamentosos através de uma pele íntegra. Aplicação no lado de pólo igual para que o medicamento seja repulsado, penetrando. (histamina+,cataflam+,salicilato-

 

*Galvanização: um pólo com parte do membro imerso na água e o outro pólo na parte que está fora da água. Balde cheio de íon(Ex: salicilato-), coloca dentro da água um eletrodo negativo. O eletrodo+ é fixado na parte que está fora. Atração dos íons que penetrarão intensamente.

 

Indicações:

 

-analgesia

 

-processos inflamatórios agudos (epicondilite : iontoforese= íon salicilato)

 

-iontoforese = processo inflamatório agudo e crônico, *cuidado polaridade da substância

 

-drenagem de edema por diferença de pólos ,*mas existem outras maneiras melhores: elevação e exercício(bomba muscular)

 

 

Contra-indicações:

 

-esponja deve estar sempre molhada, se seca, queima

 

-distúrbio de sensibilidade

 

-pele não íntegra (acne,cicatriz recente)

 

-tatuagem = contra-indicação relativa = pode alterar a cor se ocorrer queimadura

 

-técnicas de osteossíntese (fixação de acrômio, fêmur = pino, parafuso : cuidar com a distância à placa =queimadura na certa

 

 

Técnica de Aplicação:

 

Integridade da sensibilidade = inspeção da pele

 

Molhar a esponja

 

Eletrodo envolto em chumbo, alumínio, borracha transmissora

 

*para corrente apolar existem os eletrodos colantes (silicone), que não podem ser usados na corrente galvânica

 

IV- *Gel: especial, pois os comuns contêm outras partículas (corantes, cheiro, densidade)

 

V- COLOCAÇÃO DOS ELETRODOS:

 

*é uma particularidade de cada aparelho

 

Devem sempre de maneira que a corrente seja produzida sobre o ponto doloroso. A ação da corrente ocorre só entre os eletrodos. Distância máxima 15cm, também não encostar, causa queimadura(curto)

 

VI- Ligar o aparelho

 

VII- O único parâmetro de regulagem é a INTENSIDADE

 

Visor : unidade= micro ou miliampere

 

Sensação referida : formigamento. Agulhada é início de queimadura

 

Com 10 min de aplicação com intensidade de acordo com a sensibilidade, pele íntegra, esponja molhada(é interessante molhá-la novamente) e trocar a polaridade para não causar acúmulo de íon

 

*Hiperemia Latente= propriedade da corrente galvânica. Ocorre vermelhidão na parte que estava em contato com o eletrodo. Vasodilatação induzida, descarga do simpático e do parassimpático. Em 2 ou 3h desaparece.

 

*Quando cessa o formigamento ocorre a acomodação do mecanismo de sensibilidade, se fosse corrente apolar poderia variar o parâmetro, mas como é polar não pode.

 

**GALVÂNICA: aumento muito intenso confunde os neurônios, efeito colateral=fibrilação. Não pode haver nenhum tipo de contração, movimento ordenado de fibra. A partir da corrente Farádica é que se tem produção de movimento a partir de eletroestimulação.

 

 

"CORRENTE FARÁDICA"

 

 

-Primeira a produzir movimento a partir da estimulação

 

-Corrente de baixa frequência, polar

 

Produz movimento devido a variação brusca de intensidade. Os períodos de valores constantes de i equivalem a zero, ou seja, não tem corrente. Cada vez que despolariza é gerado uim pulso sobre o Placa Motora. O neurônio Motor só é estimulado quando há um aumento brusco de i e um repouso entre eles

 

*Limiar de Depolarização da Fibra = 75 mA. Dependendo do equipamento pode Ter valor em módulo e não valor absoluto. Ex: aula prática a partir do 3, sentia (contração).

 

Eletrodo em Placa = Estacionário . Muito tempo ou intensidade alta podem produzir queimadura.

 

Eletrodo em Caneta = móvel. Estimula pequenas dimensões, técnicas mais aperfeiçoadas = n não muito comum.

 

FUNÇÃO DO ELETRODO CANETA E DA CORRENTE FARÁDICA:

 

-produção de contração

 

 

Ponto Motor: maior concentração de placas neuromotoras por área, contração mais acentuada onde o nervo se insere no ventre muscular,

 

Nervo vindo do Plexo Braquial = se divide me muitas fibras= chegando nas placas neuromusculares = musculatura estriada

 

-serve para marcar o ponto e sobre ele colocar o eletrodo estacionário para fazer a "eletroginástica"(não mais utilizado ). Hoje testa-se o ponto motor e ali coloca-se um apolar.

 

-antigamente, quando só se tinha a corrente farádica , ela era muito utilizada

 

*Eletroestilmulação de face para paralisia facial = corre-se o risco de estressar o músculo (falta de glicogênio na fibra) e ele não retornar a movimentar (fadiga).

 

*Se estimular o Nervo terá uma sensação desconfortável, mas não há problema, apenas perde parâmetro de ação do músculo.

 

Contra-indicação:

 

-falta de sensibilidade periférica

 

-pele não íntegra

 

-mucosas

 

*Estudos = eletroestimulação do ponto motor do antagonista à espasticidade para liberar a musculatura.

 

Placa Motora:

 

-músculo cardíaco = pode ter um controle nervoso simpático e parassimpático, não precisa de inervação íntegra porque os potenciais de despolarização ocorrem dentro da célula = não tem controle neurológico

 

-músculo esquelético = para cada fibra existe uma placa motora

 

-músculo liso = uma placa motora para mais fibra

 

PA = DC x RP

 

Pressão arterial= débito cardíaco x resistência periférica

 

Aumento da resistência periférica quando a contração isométrica é por muito tempo = aumento da hipertensão arterial.

 

 

"CORRENTES DIADINÂMICAS DE BERNARD"

 

galvano-farádicas

 

 

Corrente de Ritmo Sincopado

 

Correntes Difásicas

 

Correntes Monofásicas

 

Corrente de Curto Período

 

Corrente de Longo Período

 

 

*limitação das correntes diadinâmicas: só 2 pólos = considera-se apenas 2 pontos gatilho, demorando mais para se obter resultado

 

 

1. Corrente de Ritmo Sincopado: (RS)

 

Dentro das Diadinâmicas de Bernard é a única que produz contração muscular com finalidade de movimento articular.

 

Obrigatoriamente precisa saber o Ponto Motor pois um eletrodo irá sobre ele

 

*contração=precisa de um trem de pulso

 

-quando atingir a i máxima ele vai a zero, ou dá um pouco de corrente galvânica como Base

 

*Base de corrente galvânica( de acordo com a sensibilidade do paciente) e Dose de farádica( de acordo com a intensidade que se deseja) = não necessariamente volta à zero após o estímulo.

 

*A variável T não é importante quando se quer contração, porque ela estimula e dá um tempo, não há risco de queimadura

 

*Por causa do período de acomodação ( dos nociceptores=interpretação de estímulos nocivos) quando é analgesia, deve levar o tempo em consideração.

 

 

2. Correntes Difásicas: (DF)

 

 

*ANALGESIA

 

-possui um componente de corrente galvânica

 

*Largura de Pulso= é o tempo de estimulação

 

de uma intensidade n de corrente expressa em

 

fração de segundo.

 

FUNÇÃO: analgesia e estimulação do trofismo do tecido conjuntivo, primeira a ser utilizada

 

TEMPO: normalmente varia de 30s à 1 min

 

*quando trabalha com Intensidade muito forte começa a relatar vibração que não deve se tornar desagradável ao paciente.

 

 

Correntes Monofásicas: (MF)

 

 

INDICAÇÃO:

 

-Analgesia(inespecífica=qualquer quadro doloroso)

 

-Realizam microcontrações responsáveis pela estimulação de microcirculação

 

-Intensidade é medida pela sensibilidade do paciente

 

*tecidos responsáveis pela resistência periférica :rins, face e pele como um todo

 

 

4. Corrente de Curto Período: (CP)

 

 

INDICAÇÃO: Analgesia

 

TEMPO: 1 à 5 min, deve ser somada

 

às outras correntes

 

 

5.Corrente de Longo Período:(LP)

 

-tem persistência temporal: após terminada a aplicação,

 

seu efeito continua por até 2 horas

 

 

INDICAÇÃO: Estimulação do trofismo

 

Analgesia por tempo prolongado

 

*galvânica = BASE: a partir de que ponto se deve dar ao

 

paciente.Se a base for zero,o estímulo é muito semelhante

 

à farádica.

 

 

*INTENSIDADE x SENSIBILIDADE

 

"Escala Analógica subjetiva de McGille e Melzack"= para medir a sensibilidade e a dor sem dor dor fraca desagradável moderada desconfortante massacrante

 

 

LP

 

DF INVERSÃO

 

MF

 

CP

 

RS BASE DOSE TIMER

 

 

Eletrodo em Capa: foi inventado justamente para trabalhar paralisia facial de Bell ou por Frigoli: pouco uitillizada

 

*forame: compressão = perda de função

 

frontal

 

trigêmio facial

 

mandibular

 

*difásica e LP = analgesia e microcontração = retirada de líquido, iontoforese = diminui a compresão = responde muito bem a esses fatores

 

 

"TENS"

 

(Estimulação Neurológica Elétrica Transcutânea)

 

 

*corrente apolar

 

*baixa frequência (0-1000Hz, com faixa terapêutica de 1-200Hz; aparelhos: 1-100Hz, 1-150Hz, 1-200Hz)

 

*função única e exclusiva de Analgesia de processos dolorosos insolúveis.

 

Contração

 

-não existe mais risco de queimadura

 

-efeito danoso: estando ocorrendo analgesia , realizar atividades de impacto, sob este efeito, como subir escadas, realizar exercícios de rotação etc. Por isso só utilizar para eliminar a dor e não aplicar outras técnicas depois

 

-fornece a possibilidade de continuar as atividades diárias sem a necessidade de utilizar analgésicos via oral

 

-pré-relaxamento

 

*Eletroestimulação em drenagem de tórax: uso de TENS. O dreno na pleura é muito doloroso, por isso precisa utilizar analgésicos, que têm como efeito colateral acabar por ocasionar depressão respiratória. TENS : diminui a dor sem diminuir a expansão .

 

*Dentistas: disfunção de ATM

 

*Trabalho de parto: professora Fabiana de gineco I

 

 

FORMAS:

 

-Contínua

 

-Burst : colocados sobre os pontos motores consegue contração muscular, ou então para dores agudas. Pulsos de 4-6Hz.

 

*Litotripcia: para detonar cálculos renais, ultra-som (tiros). Equipamento para fisioterapia acoplado à litotripcia para acabar com "bico de papagaio". Muito caro, aproximadamente S 330 000 o aparelho completo.

 

 

"Teoria da Comportas da Dor"(Melzack, 1970)

 

*estímulo elétrico competindo com o estímulo mecânico(dor)

 

-aumenta a tolerância = acomodação (liberação de opiáceos : B-endorfinas)

 

-o estímulo elétrico atinge fibras mais rápidas que aquelas do estímulo doloroso, acomodando e aumentando a tolerância

 

-dores agudas, subagudas, crônicas : para cada tipo utiliza outra regulagem

 

 

VARIÁVEIS(maior número para serem controladas):

 

*Frequência= Hz (idade da dor)

 

*Largura de Pulso = quantidade de energia por pulso para o paciente:

 

-alta f, baixa LP(50 à 150ms)= compete com a dor aguda

 

-baixa f, alta LP (maior que 150ms, normalmente até 300ms)= compete com a

 

dor crônica

 

*Tempo= ms e em aparelhos mais modernos us .Variável aberta: até 15 min = analgesia de 2h, 15min-2h = analgesia de até 4h(máximo).

 

*Intensidade= Se deixar a frequência e a largura de pulso altas, causará contração, até a Tetanização, quando não despolariza, nem dá tempo para a fibra.

 

IDADE da DOR:

 

-dor aguda (rápida)= do momento da agressão até 3 dias, mediada por fibras finas ou fásicas. Responde melhor a estimulação com alta frequência(80-100Hz)

 

-dor subaguda = 3dias-3semanas, fator de transição das fibras (40-80Hz)

 

-dor crônica (lenta) = acima de 3 semanas, mediada por fibras grossas de condução rápida (4,5,6-40Hz)

 

 

Indicações:

 

-artrose

 

-fibromialgia

 

 

Técnica de Aplicação:

 

 

-utiliza adesivos auto-colantes ou gel condutor no eletrodo simples.*tomar cuidado para ao comprimir (ex: com a fita), não deslocar do Ponto Motor.

 

 

1o Canais de saída zerados, somente regular aquele que estiver ligado. Canais = intensidade = 2 ou 4 com 2 eletrodos em cada. Quanto maior o número maior a área que se pode atingir(pontos gatilho da dor)

 

2o Ligar o aparelho

 

3o Regular o tempo (normalmente em ms)

 

4o Regular a Frequência dependendo do tipo de dor (aguda ou crônica)

 

 

-Modo Burst(pulsado:4-6Hz = possui frequência fixa, não precisa ser regulado, apenas i e LP pode variar) ou Contínuo (se aumentar a frequência progressivamente, chegará a um ponto em que ocorrerá tetanização, dependendo do período refratário de cada pessoa, mas varia muito pouco. Se aumentar a LP com a mesma f também ocorre tetanização, se LP for muito alta não dá tempo de descanso entre um pulso e outro

 

-f varia de acordo com o aparelho, a zona terapêutica é de 0-200Hz, mas o aparelho pode possuir menores que 200.

 

*o ideal é trabalhar no platô da

 

sensibilidade, não da dor, nem

 

do movimento.

 

-utilizar TENS somente para ANALGESIA até ocorrer acomodação , daí altera a LP ou f, não é indicado aumentar a intensidade, esta só deve ser regulada no início ,pois pode causar efeitos sem sentir e piorar posteriormente a dor.

 

*antes de desligar o aparelho ZERAR a intensidade, para não sentir um choque

 

-após a estimulação a região fica com a sensibilidade muito diminuída.

 

-o intervalo de pulso serve para driblar a acomodação e a dor subaguda que não estão caracterizados como fibras finas ou grossas

 

 

#BURST:

 

 

-contração muscular

 

-dor agudíssima

 

Ex: LP aleatória, aumentar no início a intensidade enquanto estiver suportável, o estímulo facilita a percepção do local a contrair

 

*única função(contração) : estímulo proprioceptivo para auxiliar a contração voluntária, não causa hipertrofia

 

 

Uso de BURST em Pontos Gatilhos da Dor para produzir Analgesia:

 

 

PONTOS GATILHO DA DOR (Thigger Points):

 

Legenda: *pontos obrigatórios para colocação de eletrodos

 

-opcionais

 

1.Cervicalgia e Cervibraquialgia:

 

*emergência da raiz nervosa

 

*articulação acrômio-clavicular

 

-face ventral do braço

 

*epicôndilo medial ou lateral

 

-face ventral do punho

 

*face dorsal do punho

 

Colocação dos eletrodos:

 

 

I .Sítio da Dor

 

 

-depende da orientação do dermátomo

 

 

II.Fogo Cruzado: mais eficiente quando houver

 

um ponto de dor bem definido. Permite o uso

 

de diferentes intensidades, estimulando mais,

 

diminuindo a acomodação(leva mais tempo).

 

 

2.Lombalgias e Lombociatalgias:

 

*emergência da raiz (coluna lombar)

 

-articulação sacro-ilíaca

 

*prega glútea

 

*fossa poplítea

 

*maléolo medial ou lateral (dependendo do acometimento)

 

-base do hálux

 

opcionais: calcâneo e face lateral(fibular) da perna = se for utilizar TP no trajeto do nervo, de preferência utilizar intercalado

 

 

"FES"

 

(Estimulação Elétrica Funcional)

 

 

-corrente de baixa frequência

 

-apolar

 

-objetivo de CONTRAÇÃO MUSCULAR quando os eletrodos estiverem colocados sobre os pontos motores

 

-diferencia do TENS de analgesia, pelo formato do Trem de Pulso e pelo fato de que se pode controlar o tempo e o tipo de contração muscular.

 

-pode verificar qualidade e até mesmo velocidade da contração com o aparelho

 

-a frequência também é controlável

 

TEMPO: contração concêntrica (up/rise), excêntrica (down), isométrica (sustain), e o repouso (rest)

 

 

Fibras fásicas:

 

Brancas, glicogenolíticas, rápidas

 

-equilíbrio, reações rápidas

 

-respondem melhor a estimulação com grandes f (80-100Hz)60?

 

 

Fibras tônicas:

 

Vermelhas, oxidativas ou lentas

 

-f: 10-40Hz

 

*mm esqueléticos dependendo de sua função possuem mais fibras fásicas ou tônicas, mas possuem as duas

 

*FES não causa HIPERTROFIA

 

 

Indicações:

 

*estimulação proprioceptiva

 

-aparelhos gessados

 

-pós-operatório para estimulação da contração isométrica

 

-fortalecimento muscular

 

-treino dos movimentos de aceleração e desaceleração

 

-#Estudos: *em alongamentos excêntricos(aparelho=contração concêntrica, pessoa=contração excêntrica

 

*pacientes com lesões parciais de inervação (trauma, poliomielite)

 

*eletroestimulação de músculo antagonista ao espástico na PC

 

*drenagem de edema : -eletrosmose (corrente galvânica) ou mecanismo bomba(FES)

 

 

#Variáveis de Fortalecimento Muscular:

 

=inervação

 

=carga linear

 

=nutrição

 

 

#Manifestações da PC:

 

=atetose

 

=hipotonia

 

=espasticidade

 

 

*Diplégico: 4 membros afetados e os inferiores mais

 

*Quadriplégico: 4 membros afetados e os superiores mais

 

APARELHO:

 

 

W= largura de pulso

 

F= frequência

 

UP= concêntrica

 

SUS=isométrica

 

DOWN= excêntrica

 

REST= repouso (até 3X a soma dos outros três, mas admite-se só a soma dos três)

 

 

I.Recíproco: em músculos diferentes, um pulso estimula o canal 1 e depois o canal 2

 

-produz o mecanismo de bomba-muscular

 

-para produzir movimento articular

 

II.Simultâneo: contrai os dois canais ao mesmo tempo

 

-utilizado quando os dois canais forem estimular o mesmo músculo

 

 

*1o aparelho comercializado da KLD é o ECOR(dá a opção de utilizar o TENS), outro da KW é o KYNESIS

 

 

PROTOCOLO RICE:

 

1o dia = repouso, gelo, compressão e elevação = para drenagem

 

2o dia = estimulação antes, após ter ocorrido a crise agudíssima onde se utilizava o RICE

 

-2h regressão total do edema

 

-diminui a perda de tempo e os gastos: raio-X no 2o dia

 

 

?Por que FES para drenagem não causa dor?

 

Não há aumento da tensão de retináculo e cápsula, a contração não chega em nível articular.

 

 

#Bandagem Funcional: não permite o movimento do músculo que está lesado ou seu tendão, pode movimentar-se mas sem atingir a parte lesada

 

#QUARK: aprimorou seu equipamento para analgesia= V.I.F (variação de intensidade e frequência) = excelente para o tratamento de dor(analgesia), lançaram o TENS/VIF e o FES/VIF

 

 

-outro gerador no mesmo circuito, com frequência diferente

 

-fenômeno chamado de WOBULAÇÃO = interferência de um pulso sobre o outro, nenhum estímulo será igual ao outro= não permite a acomodação dos nociceptores, tratamento muito mais eficiente.

 

-uma f é programada e a outra é variável

 

-não precisa ficar variando f ou W durante a aplicação

 

 

Orientação dos Eletrodos:

 

*contração muscular pura: Ponto Motor (FES)

 

*analgesia: mesma orientação do TENS (FES/VIF)

 

Controle de Tempo-variáveis: vai determinar o tamanho e inclinação das rampas.

 

-frequência, largura de pulso, recíproco/ sincrônico.

 

 

CICLO ON CICLO OFF RISE DELAY

 

Gisele Junctum.

Acadêmica de Fisioterapia da UDESC

 
 


Webdesign por Clauber Weigel Schappo.
Santa Fisio!!® - 2000-2010 - Todos os direitos reservados.
Melhor visualizado com o Internet Explorer 5 ou superior e resolução 800x600.