Torne-se um usuário cadastrado e ajude a Santa Fisio!! a crescer. É gratis!!

  Imprimir trabalhoEnviar Trabalho

Corrente Galvânica e Farádica e Iontoforese


CORRENTE GALVÂNICA: é uma das mais aplicadas e conhecidas em eletroterapia, pode ser chamada de corrente contínua.

 

    * ação físico- química: a) produção de calor (relação direta com a resistência específica do meio utilizado;b) dissociação       (aplicação da eletroterapia faz as cargas começarem a se orientar no sentido da corrente que passa e as moléculas se separarem); c) iontoforese (deslocamentro da partícula flu´ída, provocando uma zona edemaciada); e) ação estimulante (diretamente proporcional a intensidade); f) mudança de permeabilidade.

 

    * Ação biológica: a pele produz uma resistência muito alta com enorme diferença de potencial. Corpo humano = células de polarização.

 

    EFEITOS FISIOLÓGICOS: São determinados pela ação da corrente sobre os nervos vasomotores - hiperemia ativa, (pólo positivo - pólo negativo). Os nervos vasomotores ficam hipersensibilizados e profundos por longo tempo, produzindo reflexamente, a nível superficial e profundo uma maior oxigenação tecidual; consequentemente um aumento na irrigação, aumento do aporte sangüíneo, da metabolização de substâncias como nutrientes, eletrólitos, anticorpos e leucócitos, favorecendo a reparação e defesa. Como o fluxo da corrente dá-se do pólo positivo para negativo, carregando líquidos e bactérias,.este pólo positivo é considerado antiinflamatório e bactericida.(MACHADO,1991)

 

    * Reações vitais: a) hiperemia, b) parestesia; c) narcose galvânica; d) excitação espástica; e) vasodilatação; f) bactericida; g) antiinflamatória; h) analgésica; i) tonificação muscular.

 

    EFEITOS ANALGÉSICOS: Por aumentar o limiar de excitabilidade das fibra nervosas sensitivas ocorre a diminuição dos estímulos dolorosos, por isso, a corrente galvânica produz analgesia pela diminuição da pressão nos lugares edemaciados, uma  vez que a condução de líquidos ocorre do pólo positivo para negativo. Assim, acontece uma diminuição da acidez e diminuição do tônus das fibras nervosas simpáticas condutoras de dor. (MACHADO,1991)

 

    * Observação: acomodação muscular ocorre quando os estímulos elétricos aumentam sua intensidade lentamente sem provocar nenhuma contração muscular, até chegar a 3-5 vezes. Parece estar associada a DIFUSÃO ELETROLÍTICA.

 

    CUIDADOS:

 

    *Evitar contato direto metal/pele,usando esponja adequada;

 

    * não cruzar cabos:

 

    * retirar objetos metálicos, bem como não aplicar em implantes metálicos superficiais;

 

    * observar apolaridae correta, segundo a enfermidade;

 

    * testar a sensibilidade térmica e dolorosa;

 

    * saturar adequadamente e frequentemente as esponjas para manter boa condutibilidade;

 

    * colocar os eletrodos uniformenete à pele;

 

    * zerar o aparelho antes do tratamento, não aumentar ou diminuir bruscamente a intensidade;

 

    *não desligar o aparelho, sem zerá-lo;

 

    * explicar as sensações ao paciente;

 

    *manter em boa manutenção o aparelho,

 

    * o contato irregular e direto do jacaré de fixação provoca queimaduras;

 

    INDICAÇÃO DA CORRENTE GALVÂNICA:

 

   PÓLO POSITIVO:

 

    *artrite( fase crônica);

 

    *artralgia

 

    *caiatalgia

 

    *distensão

 

    *bursite

 

    *introdução de íons positivos,

 

    *loimbalgia;

 

    *mialgia

 

    *neuralgia

 

    *neurite,tendinite.

 

    PÓLO NEGATIVO:

 

    *artrose;

 

    *contusão.distensaõ;

 

    *fibrose,hidrataçõa tecidual;

 

    *introdução de íons negativos;

 

    * transtornos tróficos;

 

    *enfermidade de Raynaud.

 

    TÉCNICA DE APLICAÇÃO:

 

    * despir a área, posicionar o paciente comodamente e relaxamente;

 

    * examinar a área a ser tratada, testar sensibilidade;

 

    * questionar sobre implantes metálicos;

 

    * limpar a área com álcool e sabão neutro;

 

    * fixar os cabos,observando polaridade;

 

    * aumentar gradativamente a corrente galvãnica até o formigamento (25min)- findando o tempo diminir a intensidade;

 

    * desligar o aparelho e examinar a área tratada.

 

    CORRENTE FARÁDICA: possui impulso de curta duração de modo que ajuda aumentar a tolerância com relação à sensibilidade. Utilizada em casos de estimulação muscular recuperativa e a respiração comandada no efisema, bronquiectasia e asma brônquica.

 

    OBSERVAÇÃO:

 

    * Estímulos analgésicos: quanto mais curta for a duração, a pausa mais rápida e sua sucessão mais perto da articulação ocorrerá contração da capa muscular que a envolve. Os estímulos longos seguidos de pausa mais ou menos longa, atuam como bombas de compressão e descompressão, contraindo os músculos grandes e expelindo com ele o sangue que circula na região que se encontra entre os eletrodos.

 

    Utilização de 50-70mseg para transtornos venosos, como estases, edemas pós-traumáticos por inatividade.

 

    EFEITOS FISIOLÓGICOS:

 

    A ação da corrente farádica sobre os nervos motores provoca contração muscular sendo a estimulação sobre o ponto motor a responsavél por maior excitabilidade e contração mais eficiente. Nos nervos sensitivos, produz sensação de comichão ou leve ardência; a nível muscular, produz contração voluntária- trabalho muscular; sobre as fibras musculares, leva ao aumento do volume , melhorando a resistência e foça. No retorno venoso, provoca contração e relaxamento muscular sobre os vasos linfáticos e sangüíneos- provocando melhoras na circulação, aumentando o aporte de oxigênio e a metabolização.(MACHADO,1991)

 

    * TRATAMENTO POR IMPULSO COM INCLINAÇÃO VARIÁVEL, IMPULSOS EXPONENCIAIS: se aplica às paralisias de açaõ degenerativa( musculatura de fibras transversais que não respondem às placas terminais motoras). O tratamento fundamenta-se no princípio de dirigir isoladamente cada músculo em tratamento à uma contração rítmica. Com as vantagens de que os músculos degenerados lisos necessitam de um tempo maior de estimulação, não apresentando acomodação respondendo á uma excitação elétrica que alcança sua intensidade máxima progressivamente.

 

    TÉCNICAS DE APLICAÇÃO:

 

    *técnica bipolar:

 

    * despir e examinar a área, testar a sensibilidade;

 

    * posicionar o PC;

 

    * zerar, ligar o aparelho;

 

    * moldar os eletrodos à pele, saturar a esponja em solução de NaCl a 2% ou água morna;

 

    *eletrodo positivo colocado no início do ventre muscular ou origem muscular.

 

INDICAÇÃO

 

A corrente farádica é usada quando seu objetivo for de produzir contrações musculares e, somente, quando estas não puderem ser realizadas voluntariamente. A partir do momento que o paciente conseguir contrair seus músculos ativamente voluntária, deve-se substituir a corrente farádica por cinesioterapia.

 

da forma bipolar: estimulação de grupos musculares (mm grandes e médios);

 

da forma unipolar: estimulação de um músculo pequeno e estimulação muscular seletiva.

 

principais indicações: paresias, atrofias, reabsorção de edema traumático, diminuir ou evitar aderência, melhorar a circulação.

 

 

Contra-indicações:

 

Estados febris;

 

Extremos de idade;

 

Paralisia espática;

 

Degeneração do axônio;

 

Secção do axônio;

 

Perda de sensibilidade;

 

Paralisia flácida com reação de degeneração;

 

Região pré-cordial.

 

IONTOFORESE: é a introdução de íons medicamentosos no tecido com o auxílio da corrente galvânica com fins terapêuticos. Os íons penetram no tecido pela repulsão proveniente do pólo do eletrodo que é de mesmo sinal do medicamento, soluções aquosas ou pomadas que se dissociam em íons. Estes são reabsorvidos pela rede local e levados pela circulação sangüínea a todas as regiões do corpo. A profundidade de penetração depende da circulação e da velocidade de absorção do íon pelo tecido. Quem determina a concentração ou a quantidade iônica é a intensidade da corrente e o tempo de aplicação; por via de regra, durante um tratamento de 20 minutos, pode-se introduzir alguns miligramas de medicamentos a uma profundidade de 2 a 3 mm. (GUTMANN, 1991)

 

SUBSTÂNCIAS MEDICAMENTOSAS:

 

brometo

 

cobre

 

cloreto

 

histamina

 

cílio

 

salicilato

 

iodeto

 

 

SUBSTÂNCIAS USADAS NO PÓLO POSITIVO:

 

Bicloroidrato de histamina - 0.002 %

 

Tempo de aplicação: 2, 3, 4 e 8 minutos.

 

Indicação: enfermidade de Raynaud

 

Efeito: melhora os transtornos circulatórios devido a vasodilatação.

 

 

CLORETO DE LÍTIO - 1%

 

Tempo: 25 minutos

 

Indicação: Gota

 

Efeito: eliminação de ácido úrico.

 

 

solução de novocaína - 2%

 

Tempo: 25 minutos

 

Indicação: dor localizada

 

Efeito: analgésico

 

 

sulfato de cobre -2%

 

Tempo: 25 minutos

 

Indicação: bursite calcificada

 

Efeito: analgésico e reabsorção de calcificação

 

 

nitrato de acohitina - 0.2 %

 

Tempo: 25 minutos

 

Indicação: neuralgia do trigêmio ou ciatalgia

 

Efeito: açào enérgica das neuralgias.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 

 

GUTMANN, A. Zauner. Fisioterpia Atual. 2a edição. Barcelona: Pancast editora, 1991.

 

LUCENA, Carlos. Eletroterapia. 1a edição. Curitiba: Editora Lovise, 1990.

 

MACHADO, Clauton M. Eletrotermoterapia Prática. 2a edição. São Paulo: Pancast editorial, 1991.

 

Elaboradoras: Cheila Cavalli

Elisângela Weigel Schappo

Acadêmicas de Fisioterapia da UDESC

 
 


Webdesign por Clauber Weigel Schappo.
Santa Fisio!!® - 2000-2010 - Todos os direitos reservados.
Melhor visualizado com o Internet Explorer 5 ou superior e resolução 800x600.